Buscar

Medo de não ser quem eu sou!


Esses dias eu consegui colocar em palavras o que é o meu maior medo na vida. Um medo que me persegue desde criança e não sei bem o porquê. Mas diferente da maioria dos medos, esse sempre me ajudou, me impulsionou e fez eu ser quem eu sou.


O medo de NÃO SER QUEM EU SOU. De viver uma vida que não é minha. De desistir da minha essência e seguir o que as outras pessoas esperavam de mim. De desistir dos meus sonhos e acabar vivendo uma vida sem graça e sem alegria. Viver sem propósito.


Como eu disse, não sei bem o porquê desse medo. Talvez ao observar as pessoas vivendo sem vontade, sem acreditar nelas mesmas e nos sonhos delas me fizesse pensar que isso era a vida do adulto: trabalhar para ganhar dinheiro, casar, ter filho, morrer. Ponto. Lembro bem também que minha mãe me incentivava muito a acreditar em mim e nos meus sonhos. Ela sempre tinha um livrinho motivacional do tipo “não desista dos seus sonhos” e me fazia ficar ali, firme no meu propósito.



Quando chegou a época do vestibular eu também tinha muito certo o que eu queria: meu sonho era ser cientista, estudar em uma faculdade federal e morar sozinha. Uma parte de mim se sentia culpada por querer bater asa e voar e outra não conseguia enxergar outra saída para viver os sonhos que não fosse essa. Os obstáculos não faltaram para me fazer desistir disso: “tem certeza que quer fazer farmácia? Você gosta tanto de estudar porque não faz medicina?” ou “ihhh você vai acabar fazendo nutrição por aqui mesmo (na minha cidade natal)” ou “vai abandonar seu namorado para morar longe?” e muitas outras frases.


A maioria vinha de pessoas que me amavam mas por algum motivo tinham receio da minha escolha. Às vezes a resistência para mudar consegue aliados externos. Mas eu não me deixei abater e segui firme e forme. Durante essa fase conheci muita gente que também estava nessa busca do curso ideal e lembro de sempre dizer a elas: "não importa o que você escolher, se for algo que você ame você ganhará dinheiro”.


Me incomodava muito o fato de as pessoas fazerem suas escolhas profissionais de acordo com o possível salário. Isso nunca fez sentido para mim. E sempre senti muito medo disso, sabe? De ser essa pessoa no futuro. De ter qualquer trabalho porque seria o conveniente. Sempre quis fazer algo que eu amasse e fizesse sentido. Não queria ter qualquer trabalho. Qualquer relacionamento. Qualquer amizade. Eu nunca quis decepcionar a minha criança interior, a Marcelinha tinha muitos sonhos!


O que eu fazia que me sentia viva, vivendo a minha essência: fazendo coisas diferentes, saindo da rotina:

  • Quando inventava aqueles eventos com a Mariane;

  • Quando resolvemos abrir a banda;

  • Quando escrevia poesia e no meu diário

  • Quando eu estava estudando inglês

  • Momentos especiais com as pessoas que eu amo, de muita conexão

  • Quando eu saia da minha zona de conforto para fazer algo novo!

  • O tempo que estudei para o vestibular e quando passei :)

  • Toda vez que eu corria atras de estágios durante a faculdade e consegui todos que eu queria!

  • No dia que eu passei no concurso da vigilância sanitária!

  • O dia que eu descobri sobre a farmacovigilância! Lembro que meu coração chegou a acelerar: Nossa, é isso que eu quero fazer!

  • O dia que consegui meu primeiro emprego na cidade grande;

  • Quando fui morar sozinha no Rio de Janeiro;

  • O maior de todos: quando sai de um relacionamento onde não era mais eu;

  • Quando consegui o estágio em Portugal;

  • Quando fui estudar alemão - me colocava mais próxima do que eu queria

  • Quando terminei meu curso de inglês

  • Quando consegui minha carteira de motorista

  • Toda vez que eu paro para me cuidar, principalmente através da atividade física e espirituais.


Mas ai chegou um momento que eu não sabia mais o que eu queria. Perdi o horizonte. Não estava satisfeita com as condições de trabalho mas não fazia ideia onde buscar outras oportunidades, não queria mais morar onde eu estava e aquele velho sonho de morar fora voltou com tudo. Dia e noite. Era só o que eu pensava, e ai veio aquele pensamento: “Não desista dos seus sonhos?”. Tomei coragem, me organizei e fui para a Austrália.



Morar fora sempre foi um dos meus maiores sonhos e achei que me sentiria realizada após essa conquista. Mas isso foi só o início da jornada: foi quando eu comecei a me questionar ainda mais sobre meu propósito e objetivos. Foi em 2016, assistindo a uma aula de propósito e empreendedorismo na escola que estudei na Austrália (MnM) que me veio uma "luz" para investir no meu autoconhecimento, sonhos e projetos.

Desde então não parei mais de investir em mim. E foi nessa longa busca atrás do meu propósito que me encontrei ajudando outras pessoas a descobrirem seus propósitos e simplesmente entendi que era dessa forma que viveria um dos meus propósitos: ajudar outras mulheres a ocuparem seus lugares no mundo. E eu digo um dos meus propósitos porque não precisamos nos colocar em uma caixinha e ter apenas UM PROPÓSITO na vida. Quando sabemos quem somos de verdade conseguimos nos expressar isso EM TODOS OS NOSSOS FAZERES: trabalho, projeto, negócios e relacionamentos.

Eu vou te guiar em um caminho de conexão profunda com você mesma para que você tome melhores decisões, tenha clareza da direção a seguir e compreenda o seu propósito a partir de suas características pessoais.

Sou especialista em Propósito aplicado, Terapeuta Floral e Farmacêutica. Uma profissional que guia mulheres de forma holística para que elas consigam se entender, se olhar e ter uma vida e trabalho com propósito.


Iluminou aí?


Beijos,

Marcella.



1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo